Muitos advogados, do mais velho ao mais novo, são assombrados por aquela voz que diz: “cuidado! a tecnologia vai acabar com o seu trabalho, fique longe disso!” e acredite, isso é a pior coisa que pode acontecer com um profissional de direito. Entretanto, é impossível negar que a tecnologia e as inovações têm o poder de acabar com um império.

Um exemplo claro disso são as blockbusters (companhia de aluguel de filmes), que, em seu auge, chegou a manter 9 mil lojas ativas simultaneamente e que foram praticamente dizimadas pela força dos serviços de streaming como a Netflix, ou seja, quem não se atualiza, de fato não tem espaço.

O Mercado jurídico não será diferente. Essa evolução é bem maior internacionalmente por conta da liberdade e da visão empresarial que os escritórios de advocacia possuem em outros países, porém, alguns escritórios brasileiros têm obtido ganhos expressivos com a adoção de plataformas tecnológicas. E para você, que acha que só os grandes escritórios possuem capital para usufruir dessas novidades, eu preciso te lembrar que vivemos em uma era de facílimo acesso à informação e, por conta disso, podemos encontrar soluções que atendem a todos os públicos. Entretanto, se o medo ainda persiste, seguem algumas razões para que resista à mudança:

Primeiro porque com novas tecnologias, surgem novos campos de trabalho e, segundo, pois a Advocacia 4.0 (https://bloglitive.com.br/a-advocacia-4-0-na-pratica/) é uma grande facilitadora e aliada do profissional do direito. A partir da absorção e entendimento de que a tecnologia é nossa aliada, coisas incríveis podem acontecer. Calcule a quantidade de horas que você leva para captar um cliente por meio de e-mails; quanto tempo você levaria para buscar uma jurisprudência que se amolde perfeitamente ao caso em que você está trabalhando; quanto tempo você demoraria para calcular honorários e organizar todas as finanças do escritório…

Seriam minutos ou até mesmo horas que poderiam ser facilmente economizadas caso você confiasse essas atividades aos serviços desenvolvidos pelas LegalTechs. Em um conceito básico, LegalTechs ou LawTechs é o nome dado às Startups do ramo jurídico. Elas provêm soluções para o dia a dia de escritórios e profissionais liberais no que tange à gestão de processos judiciais e demandas consultivas, à questões afetas à rotinas organizacionais e administrativas, a atendimento preliminar e captação de clientes, a controle e fiscalização de prestação de serviços, bem como sua devida contraprestação e a diversos outros ramos que estão inseridos no contexto jurídico.

Veja, com as questões básicas automatizadas, possuímos mais tempo para nos dedicar ao estudo de novas teses jurídicas, ao desenvolvimento da oratória e ao aprimoramento das nossas próprias competências. E Doutores, posso assegurar ao senhor ou à senhora, que uma máquina nunca poderá persuadir um juiz durante um despacho ou em uma sustentação oral por exemplo, assim como nunca será capaz de prestar uma palavra amiga a um cliente que te procurou para resolver um problema que lhe traz grande aflição. Precisamos ter em mente que o futuro muito provavelmente envolverá robôs e assistentes jurídicos eletrônicos, porém, nada substituirá o talento e a especialização.

E assim, se aprofundar em inovação tecnológica e se utilizar dela será cada vez mais relevante, cabe a nós escolhermos se continuaremos com medo, ou se mergulharemos neste mundo que já é realidade fora e dentro de nosso país e de nossa profissão.

Escrito por Vitor Vidal