A indústria petrolífera surgiu no Século XIX e desde aquela época se tornou sinônimo de riqueza. Não à toa, empresas deste porte lucram bilhões por ano, afinal, estamos falando de um combustível utilizado em todo o mundo e que está longe de ser descontinuado. Dados não são diferentes, em mundo cada vez mais digital, eles têm uma relevância enorme, que segue em crescimento.

Pensando nisso, a frase “Dados são o novo Petróleo” é a analogia perfeita para descrever o potencial que uma boa gestão de dados tem nos tempos atuais. Como advogados, também precisamos nos expor à matéria. As demandas dessa área estão aumentando, visto que diversos nichos como educação, finanças e comércio estão migrando para o Digital, o qual tem relação direta com os dados.

A OPORTUNIDADE DE TRABALHAR COM DADOS

Assim, surgem diversas possibilidades na área, como a atuação focada para assessoria e estruturação de tratamento dos dados. Para nós, profissionais do Direito, a LGPD é a concretização dos Dados como produto a ser oferecido.  

Por conta da expansão da internet e da infinita quantidade de dados circulando nas redes a cada minuto, há grandes possibilidades de ocorrência de incidentes, onde vários consumidores podem ser lesados. Infelizmente não são raras as vendas e trocas de dados entre Big Datas do mercado, vazamentos após ataques hackers e as fraudes causadas posteriormente. Isso fere a segurança que deveria ser conferida ao consumidor, e as empresas acabam sendo responsabilizadas por isso.

Portanto, o mercado vem abrindo espaço para profissionais especializados em mitigação de riscos no tratamento de dados. Especialmente sob a ótica de empresas e negócios digitais, a prioridade é sempre evitar esses incidentes, por conta disso, é importante ter notório conhecimento da Lei Geral de Proteção de Dados para que sejam elaborados planos de Tratamento que estejam em conformidade com a lei, conferindo segurança para os Fornecedores e aos consumidores.

O ÔNUS E O BÔNUS

 Não obstante, o petróleo, apesar de ter seu bônus, também possui seu ônus. Imagine uma empresa que distribui petróleo, se ela não tiver cuidado com sua própria matéria prima, pode acabar causando um gravíssimo acidente com graves impactos ambientais. Com os dados é a mesma coisa, se sabemos da importância da segurança dos dados, devemos não só aplicar nos negócios de nossos clientes, mas também em nosso próprio escritório.

Ferramentas como verificação de logins em duas etapas, trocas de senhas periódicas, chaves aleatórias para acesso às informações sigilosas de clientes. Tudo isso é importantíssimo para mantermos a idoneidade do escritório e a segurança de terceiros, que podem ser altamente prejudicados por o mais simples dos incidentes.

A FRASE DO TÍTULO FAZ SENTIDO AGORA?

Conseguem perceber a semelhança entre os dados e o petróleo? Ambos são “ferramentas” que revolucionaram o jeito de viver do mundo e podem causar impactos gigantescos, tanto positivos quanto negativos. Mesmo assim, meu palpite é que a modernização e o movimento sustentável e tecnológico farão com que a eletricidade seja o principal combustível utilizados em carros e máquinas, eliminando o petróleo uma hora ou outra, ao passo que a gestão de dados será cada vez mais importante e complexa.

Será que um dia a premissa inicial será substituída por “dados são o antigo petróleo”?

Escrito por Vitor Vidal