Doutores e Doutoras, é de conhecimento geral que alguns escritórios conseguem desempenhos acima da média, a grande maioria deles estão há muito tempo no mercado e certamente aplicaram as técnicas certas para se sustentar durante o tempo. A história dos escritórios e de seus sócios podem ser de grande valia para advogados que têm menos tempo no mercado, pois podemos comparar seus métodos de atuação com os nossos e até mesmo aplicá-los em nosso dia-a-dia.

É justamente essa comparação que chamamos de “Benchmark”.

CONCEITO DE BENCHMARK.

Como já dito, Benchmark nada mais é do que fazer uma comparação entre o seu escritório e algum outro de maior sucesso. Entretanto, essa comparação deve ser feita de forma ATIVA, isto é, deve haver um estudo sobre procedimentos e modus operandi e aqueles fatores que você julgar produtivos, devem ser adotados, a fim de agregar valor também ao seu próprio escritório.

E não se enganem, não há nenhum demérito em executar essa técnica, uma vez que os procedimentos integrados por você certamente serão executados de uma forma diferente. É impossível “copiar” o protocolo de atendimento por exemplo, afinal, cada pessoa tem seus costumes, sua cultura, seu modo de falar, outrossim, a subjetividade intrínseca ao Direito, também não permitirá que tal ato aconteça.

PONTOS PARA SE APLICAR O BENCHMARKING

Pontos extremamente valiosos podem ser corrigidos ou melhorados por meio de um Benchmarking, como a periodicidade de comunicação sobre os processos ativos. Grandes relatórios sempre emitem relatórios e comunicados periódicos para seus clientes. Isso fideliza os clientes, pois ao deixá-los a par da situação, cria-se a sensação de que eles realmente estão envolvidos naquilo que importa.

Outro ponto importante é a gestão de equipe. Grandes escritórios reconhecem seus colaboradores, seja com bônus pecuniários, presentes ou até mesmo um reconhecimento parabenizações em público, que motivam ainda mais os advogados parceiros.

Tecnologia também é tem se tornado importante dentro da advocacia. Por meio do Benchmark é possível identificar quais os softwares utilizados para gerenciar processos e demandas consultivas. Assim, é possível ganhar mais produtividade e celeridade nas demandas do escritório, gerando uma maior satisfação no cliente, e que é a chave real para o sucesso.

COMO APLICAR O BENCHMARKING

Cumpre ressaltar que os exemplos anteriores são apenas algumas das possibilidades, por isso, primeiramente, é importante definir o objeto a ser comparado, para que se tenha uma clareza e uma assertividade maior. Logo após, escolha 3 escritórios que são referência em sua área de atuação e comece as pesquisas, entre em contato com funcionários e gestores, alguns deles gostam de cooperar com colegas de profissão. O LinkedIn é uma ótima ferramenta para esse contato.

Coletadas as informações, faça uma espécie de tabela comparativa e veja o que está a seu alcance de aplicação. Não perca tempo, parta para a ação e mude o que deve ser mudado, você pode fazer ajustes e incrementos ao longo do tempo, adaptando as estratégias ao seu modelo de escritório ideal.

APLICAR O BENCHMARK PODE MESMO TRANSFORMAR MEU ESCRITÓRIO?

A resposta é: SIM! A principal finalidade dos processos do Benchmark é a mesma da Análise SWOT, ganhar tempo e eficiência com baixo custo. Afinal, se a inspiração é um dos fatores chaves para um advogado, por que não se inspirar em modelos de escritório que já deram certo?

Escrito por Vitor Vidal